quarta-feira, outubro 29, 2008

Grupo Ultimo Tipo


Grupo Último Tipo


O Último Tipo é um Grupo musical criado em Goiânia em 1988, que pesquisa o teatro na música seja no palco ou em gravações. A cênica é tão importante em seu trabalho que muitas vezes é considerado como uma troupe de atores. E realmente no seu espírito está o teatro mambembe e o clown, fazendo freqüentemente espetáculos de rua e apresentações itinerantes à moda dos trovadores medievais.

O vocal é sua base e tem como proposta a inovação. Déo Piti, Jara Carvalho, Lóra Brito e Velú Carvalho fazem um trabalho rico em detalhes. Os arranjos e composições são cheios de dissonâncias, ritmos sobrepostos e falas incidentais que dão dinâmica e prendem a atenção quando unidas a ação cênica. No acompanhamento, violão e uma percussão que chama bastante a atenção por incluir instrumentos diferentes como espátulas de pedreiro, um triângulo que não é triangular e que já foi um suporte de toalhas, concha de cozinha, cabaças, chocalhos de bebê, chaves velhas, dentre outras. Têm referências em Hermeto Pascoal, Arrigo Barnabé, Mutantes, Premeditando o Breque, Itamar Assumpção, Arnaldo Antunes, dentre tantos outros. Uma das faces mais fortes do grupo, além da presença de palco, interatividade e vocal são as suas composições brincalhonas, cheias de ironia e bom humor, sendo elas as responsáveis pela criação deste estilo que hoje o Último Tipo utiliza também para interpretar canções de outros compositores da Música Brasileira.

Os figurinos exóticos são sempre confeccionados com materiais recicláveis, como cartões telefônicos, garrafas pet, discos de vinil e tudo o que a criatividade permitir. Maquiagens fortes, aliadas à arranjos vocais de "última geração", interatividade e sensibilidade fazem com que o público se enfeitice com esse trabalho.


"Animambembe"se baseia na irreverência, informalidade e alegria. O repertório é montado como um quebra-cabeças, que varia de acordo com a platéia e seu ritmo próprio. Buscam sempre o que há de mais cênico e assim forma-se uma cumplicidade raramente conseguida em um espetáculo musico-teatral.

Para esta apresentação, durante a exposição de “Produção Fonográfica Infantil” no MIS escolhemos Canções que não podem faltar como "A Galinha Có cóuá" (Ves. Edgar poças), "O Trenzinho" (Edgar Poças), "A Casa" (Toquinho e Vinícius), "Tem gato na Tuba" (Braguinha), "O Pato" (Bacalov, Toquinho e Vinícius), "Infantil" (Jara e Déo), "O Monjolo do Seo Lindorfo" (Jara e Déo), "O Circo" (Batatinha) e "Ponta de Areia" (Milton Nascimento e Fernando Brant). A interatividade é um dos pontos altos, cujo público é, muitas vezes, convidado a participar. Por vezes a própria platéia é o palco onde poderá ocorrer o inesperado.

Ficha Técnica / Animambembe:

Déo Piti: Voz e percussão
Jara Carvalho: Voz, Violão e efeitos
Lóra Brito: Voz e efeitos
Velú Carvalho: Iluminação

segunda-feira, outubro 20, 2008

História do Circo


A História do Circo
Teatro no Brasil


Professor(a) responsável: Luiz Rodrigues Monteiro Junior
Professor(es) do curso: Luiz Rodrigues Monteiro Junior - Garcia Maria Navarro - Ermínia Silva

EMENTA: Realizar uma introdução sobre a história do circo-teatro no Brasil de 1830-1900, para proporcionar aos alunos conhecimentos dessa forma de expressão artística fundamental na construção do patrimônio cultural brasileiro. Considera-se que o seu desenvolvimento no século XIX alicerçará os processos histórico-culturais dos séculos seguintes, quando novos meios de manifestação cultural, como o rádio, o disco, o cinema, a televisão, entre outros, passaram a se entrelaçar com as construções teatrais de distintas modalidades.

OBJETIVO: Contribuir para que os alunos do curso conformem novas aquisições de conhecimento sobre o mundo da teatralidade brasileira, tomando o circo-teatro como seu eixo reflexivo e implicado no mundo da produção cultural brasileira. Contribuir para que os alunos possam perceber a importância que a história do circo tem para o desenvolvimento profissional nas áreas do teatro, do cinema, do rádio, da televisão, da dança, da música, da cenografia, da coreografia, do figurino, da iluminação e da dramaturgia. Contribuir para que os alunos possam, então, ampliar seus leques de pesquisa e estudos em suas áreas de formação e atuação.

Telefone: (0 xx 19) 3521 4646 / (0 xx 19) 3521 4648 / (0 xx 19) 3521 4647

Endereço: R. Roxo Moreira, 1831 Caixa Postal 6085
Campinas-SP
CEP: 13084-971
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 17h30min

segunda-feira, outubro 13, 2008

Produção Fonográfica Infantil - Museu da Imagem e do Som de Campinas - MIS

Cláudia Beraldo e Alexandre Cartianu – Troupe Per Tutti
Cláudia Beraldo e Alexandre Dan Zwicker Cartianu


"Arte circense"
 Alexandre Cartianu – Troupe Per Tutti

Produção Fonográfica Infantil

Panorama da discografia para o Público Infantil

Acervo da colecionadora: Claudia Beraldo

Museu da Imagem e do Som Campinas

07 a 31 de outubro de 2008

Entrada gratuita

A Exposição aconteceu durante o mês da criança, no MIS, a programação foi recheada de apresentações artísticas, exibição de filmes e animação, audições, palestras e mesas redondas, propiciando diferentes vivências, para as crianças de todas as idades.

quarta-feira, outubro 08, 2008

Produção Fonográfica Infantil - Museu da Imagem e do Som de Campinas - MIS

Aconteceu no MIS um bate papo com o músico Albert Pavão falando sobre sua produção, gravação de música infantil.

Albert Pavão, até 1960 só tocava em festas. Já sabia todo o repertório dos roqueiros da época, Elvis, Cliff Richard, Rick Nelson e Conway Twitty. Em 1961 começou a fazer apresentações na televisão e em 62 gravou seu primeiro disco, um 78 rotações contendo “Tu e Eu” (You and I) e “Move It”, esta em inglês, pela gravadora Mocambo. Em 1963, gravou seu meu maior sucesso que foi o rock “Vigésimo andar” (20 flight rock). Em 1964 participou do Festival Sulamericano de Parque del Plata no Uruguai, onde apresentou sua composição “Meu broto só pensa em estudar”, que lhe deu a medalha de prata. Essa música foi gravada num compacto para a Chantecler, neste mesmo ano, junto com “Biquininho”, que teve acompanhamento do conjunto The Rebels. Neste ano ainda ganhou o troféu de revelação do rock da revista Melodias e do programa de Antonio Aguillar. Em 1965 gravou duas músicas antigas do Elvis em versão para o português: “Mulher de cabeça dura” (Hard headed woman) e “Garota do meu melhor amigo” (The girl of my best friend)." Irmao de Meire Pavão que que cantava no Conjunto Alvorada na década de 60.
Gravaram com o pai Thetononio Pavão ate os anos 80 o repertorio infantil.
Meire cantava com o Grupo Peralta que era composto por Meire, os Vikings, e Thomas Roth....

Museu da Imagem e do Som de Campinas
Rua Regente Feijó, 859, Centro
Fone: (19) 3733-8800
mis@campinas.sp.gov.br

Produção Fonográfica Infantil - Museu da Imagem e do Som de Campinas - MIS



Cláudia Beraldo e Alexandre Dan Zwicker Cartianu


Abertura com: Coral do Colégio Progresso de Campinas
Regência: Sílvia Regina Beraldo Penteado
presenças:
  • Clow Bonifácio (Alexandre Cartianu da Troupe Per Tutti)
  • (jarbasvargas@yahoo.com.br)
  •  
  • alunos de "Circo da Vila Padre Anchieta" da Prof. Jaqueline de Souza

Palestra: "Vamos falar de Circo" com Ermínia Silva
(mina.silva@uol.com.br)



Museu da Imagem e do Som de Campinas
Rua Regente Feijó, 859, Centro
Exposição: terça a sexta-feira, das 10 às 18h
Fone: (19) 3733-8800
mis@campinas.sp.gov.br