quarta-feira, setembro 26, 2007

Mistura Musical - Hoje é Dia de Radio Fritura !!!!


Jota


Mariovaldo

Hoje é dia de Radio Fritura.......http://www.radiofritura.com/

Blog do Programa de Rádio Mistura Musical. Um debate sobre música para quem é apaixonado, mas não se contenta em ouvir, cantar e tocar, e também quer falar música. Toda quarta-feira, às 19h, somente na web em www.radiofritura.com Apresentação do jornalista Jota Abreu e do professor Mariovaldo Marques.

Mistura Musical
Não percam , o Tema é musica infantil...
Estarei com eles hoje ás 19hs ....
Jota Abreu e Mariovaldo

domingo, setembro 16, 2007

Selos e gravadoras - Saiba a Diferença


(imagem montada por claudia campinas - selos de discos infantis )

Gravadoras e selos são nomes dados às empresas produtoras de discos. As gravadoras são as grandes multinacionais da indústria fonográfica. Já os selos são as empresas fonográficas brasileiras de menor porte, também conhecidas como "selos independentes".

A palavra selo também é utilizada para identificar uma determinada linha de produtos de uma gravadora. A Warner Music, por exemplo, distribui o selo infantil "Walt Disney Records" (dedicado às trilhas dos filmes e desenhos da Disney) e também o "Luar Music Kids" (dedicado às músicas e aos personagens dos programas infantis de TV), dentre outros selos dos mais diversos gêneros musicais.

Grandes gravadoras como a Universal Music, Paradoxx, WEA (Warner Music), Sony Music, BMG/DPA e EMI, dedicam-se a repertórios bastante diversificados. A Universal, por exemplo, produz desde trabalhos da dupla pop "Sandy & Júnior" a memoráveis coleções como "Arca de Noé", de Vinícius de Moraes. Mas, na maioria das vezes, estas gravadoras estão mais voltadas para os milionários lançamentos de CDs dos artistas e apresentadoras dos programas infantis de televisão.
====================================================================
As gravadoras são conhecidas como selos porque os álbuns que elas lançam possuem um selo indicando a empresa que os produziu. Elas encarregam-se da maior parte do trabalho da indústria fonográfica: contratam, desenvolvem, gravam, promovem, publicam e vendem música. Claro que tudo isso acontece muito antes do álbum chegar às lojas.

Existem gravadoras de diversos tamanhos, desde as pequenas e independentes, administradas por uma ou duas pessoas, até as grandes corporações, formadas por centenas de pessoas e vários departamentos. Na realidade, a Billboard (em inglês), a mais conhecida publicação da indústria fonográfica, listou mais de duas mil gravadoras atualmente em operação. A música é um grande negócio. Discos de sucesso vendem milhões de cópias e arrecadam bilhões em dinheiro para as gravadoras. ( http://lazer.hsw.uol.com.br/gravadoras.htm

Sobre discos infantis
Segundo pesquisa, a Gravações Elétricas foi quem criou o selo Continental que compreende os selos : Disquinho, Discão, Phonodisc-Mid, e depois da venda da Chantecler, os selos Chantecler e Galinho.
Todos estes selos foram comprados pela Warner em 1993/94.
A maioria dos discos infantis foram produzidos nas decadas de 70 e 80.
A Gravações Elétricas S/A foi a pioneira no genero infantil dentro da industria fonografia e continua essa produção.

(dados extraido - Abordagem Semiótica de histórias e canções em Discos para crianças - Ana Cristina Fricke Matt
http://www.unicamp.br/cdmc/pesq_sem.html - http://www.anppom.com.br/opus/opus8/ana/anatext.htm

História do Vinil



História dos Lps, os famosos Discos de Vinil !


O disco de vinil, ou simplesmente Vinil ou ainda Long Play, ou coloquialmente bolachão (abreviatura LP) é uma mídia desenvolvida no início da década de 1950 para a reprodução musical, que usava um material plástico chamado vinil.
Trata-se uma bolacha de material plástico, usualmente de cor negra, que registra informações de áudio, as quais podem ser reproduzidas através de um toca-discos.
O disco de vinil possui micro-sulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. Trata-se de uma gravação analógica, mecânica. Esses sulcos são microscópicos e fazem a agulha vibrar, essa vibração é transformada em sinal elétrico e por fim amplificado e transformado em som audível (música).
Exemplo de um disco de vinil.O vinil é um tipo de plástico muito delicado e qualquer arranhão pode comprometer a qualidade sonora. Os discos precisam constantemente ser limpos e estar sempre livres de poeira, ser guardados sempre na posição verticale dentro de sua capa e envelope de proteção. A poeira é o pior inimigo do vinil pois funciona como um abrasivo, danificando tanto o disco com a agulha.

Vinis pelo mundo

  • 1887 - Emile Berliner inventa o primeiro disco plano, feito de vidro laminado com negro-de-fumo
  • 1890 - Início das gravações comerciais. Eram utilizados cilindros de cera, cada um com cerca de dois minutos de som.
  • 1894 - Berliner descobre uma forma de produzir cópias em quantidade, prensando os discos em borracha dura.
  • 1904 - A Columbia lança o primeiro disco com dois lados
  • 1925 - 78rpm se torna padrão para os discos com a invenção do toca discos elétrico
  • 1931 - A RCA Victor inventa o LP
  • 1934 - A. D. Blumlein inventa o disco estéreo. O termo "hi fi" ou "high fidelity" começa a ser usado.
  • 1940 - A RCA Victor começa a fabricar discos em vinil
  • 1948 - O LP, ou Long Play, é lançado pela Columbia, com vinte minutos por lado em 33 1/3 rpms.
  • 1949 - A RCA introduz o disco de 45 rpm
  • 1958 - Álbuns em estéreo estão disponíveis no mercado
( Disco de vinil - Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre)

Índice

  • 1 História
  • 2 Tipos
  • 3 Analógico versus digital
  • 4 Ver também
  • 5 Ligações externas

História

O disco de vinil surgiu no ano de 1948, tornando obsoletos os antigos discos de goma-laca de 78 rotações, que até então eram utilizados. Os discos de vinil são mais leves, mais maleáveis e resistentes a choques, quedas e manuseio. Mas são melhores principalmente pela reprodução de um número maior de músicas (ao invés de uma canção por face do disco) e finalmente pela sua excelente qualidade sonora.
  • Discos de vinil

A partir do final da década de 1980 e início da década de 1990, a invenção dos compact discs (CDs) prometeu
maior capacidade, durabilidade e clareza sonora, sem chiados, fazendo os discos de vinil ficarem obsoletos e desaparecerem quase por completo no fim do Século XX.
Com o fim da venda comercial dos discos de vinil , alguns audiófilos preferem o vinil, dizendo ser um meio de armazenamento mais fiel que o CD.
  • Tipos

Durante o seu apogeu, os discos de vinil foram produzidos sob diferentes formatos:
CD em formato de disco de vinil. LP: abreviatura do inglês Long Play.
Disco com 31 cm de diametro que era tocado a 33 1/3 rotações por minuto.
A sua capacidade normal era de cerca de 20 minutos por lado. O formato LP era utilizado,
usualmente, para a comercialização de álbuns completos.
EP: abreviatura do inglês Extended Play. Disco com 17 cm de diametro e que era tocado,
normalmente, a 45 rotações por minuto. A sua capacidade normal era de cerca de 8 minutos por lado.
O EP normalmente continha em torno de quatro faixas.
Single: abreviatura do inglês Single Play; também conhecido como compacto simples. Disco com 17 cm de diametro, tocado usualmente a 45 rotações por minuto. A sua capacidade normal rondava os 4 minutos por lado. O single era geralmente empregado para a difusão das músicas de trabalho de um álbum completo a ser posteriormente lançado .
Máxi: abreviatura do inglês Maxi Single. Disco com 31 cm de diametro e que era tocado a 45 rotações por minuto.
A sua capacidade era de cerca de 12 minutos por lado
  • Analógico versus digital

LP versus CD.Os discos de goma-laca de 78 rotações, foram substitídos pelo LP. Depois o CD tomou o lugar de destaque do LP, pois teve ampla aceitação devido sua praticidade, seu tamanho reduzido e som livre de ruídos. A propaganda do CD previa o fim inevitável do LP, que é de manuseio difícil e delicado.

Certos entusiastas defendem a superioridade do vinil em relação às mídias digitais em geral (CDs, DVDs e outros). O principal argumento utilizado é o de que as gravações em meio digital cortam as freqüências sonoras mais altas e baixas, eliminando harmônicos, ecos e batidas graves e "naturalidade" e espacialidade do som. Estas diferenças no entanto são pouco perceptíveis a ouvidos destreinados.

Os defensores do som digital argumentam que a eliminação do ruído (o grande problema do vinil) foi um grande avanço na fidelidade das gravações. Os problemas mais graves encontrados com o CD no início também foram aos poucos sendo solucionados. O sucessor do CD, o DVD-Audio, oferece fidelidade superior ao CD, apesar de sua baixa penetração no mercado atual.

Até hoje se fabricam LPs e toca-discos, que ainda são objetos de relíquia e estima para audiófilos e entusiastas de música antiga.

Ivan Lessa: A volta do vinil
Diversos artigos sobre vinil e gira-discos
Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/Disco_de_vinil"
Categorias de páginas: Armazenamento de áudio

Esta página foi modificada pela última vez em 20:50, 4 Setembro 2006. O texto desta página está sob a GNU Free Documentation License.
Os direitos autorais de todas as contribuições para a Wikipédia pertencem aos seus respectivos autores (mais informações em direitos autorais). Política de privacidade Sobre a Wikipédia Avisos gerais