segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Cantinho Cultural - SONIA MARIA DORCE

Pedido de um visitante -
" Diego disse...
Olá, adorei o disco da Maria Regina, porém, antes dela, uma outra estrela mirim, a paulista Sonia Maria Dorce atuava nas rádios e gravava discos ainda 78 RPM. Sonia foi o primeiro rosto a aparecer na inauguração da TV, em 1950, tornando-se a primeira estrela mirim da televisão. Vc não teria nenhuma gravação dela? Abraços Diego "

Eu acho que não tenho Diego, vou verificar novamente.
Mas achei um material na net a respeito dela, que não achei o link nem quem escreveu.

RESUMO DO DEPOIMENTO DE SONIA MARIA DORCE, PARA O MUSEU VIRTUAL DA TELEVISÃO BRASILEIRA -

Sonia Maria Dorce foi “menina prodígio”. Ela não gosta de ser assim chamada, mas todos que a conheceram, comparam-na com Shirley Temple, a “garota prodígio” do cinema americano. Com pouco mais de três anos, Sonia cantava, declamava, fazia discurso e não temia o público grande ou pequeno. “Para mim tudo era tão natural, não exigia nenhum esforço”. Por perceber essa facilidade da menina é que o pai, Maestro Francisco Dorce e sua mulher Maria, não pouparam a garota prodígio. Sonia Maria entrou para o programa “Clube do Papai Noel” de Homero Silva. Era companheira de outros pequenos artistas, como Erlon Chaves, Wilma Bentivegna, Walter Amorin. Sonia era a menor. E quando começou a participar de rádio-novelas, houve um espanto: a menina que mal sabia ler, podia decorar suas falas. O mesmo acontecendo quando na televisão Tupi de São Paulo. Decorava suas falas e dos que com ela contracenavam. E não se sentia prodígio. Em verdade levava uma vida de criança normal, brincando, imitando, fazendo “traquinagens”. Sonia Maria nem deu importância quando no dia 18 de setembro de 1950, dia da inauguração da televisão, colocaram um cocar em sua cabeça e a fizeram falar: “Boa noite. Está no ar a televisão do Brasil”. Todos os demais, porém, se encantaram. E ela fazia sempre sucesso. Participava de inúmeros programas. Citemos alguns: “Clube do Papai Noel”, “De Mãos Dadas”, “Gurilândia”, “Ciranda, Cirandinha”, “A Queridinha do Meu Bairro”, “A um passo da gloria”, “Façamos os homens de amanhã”, “Vestida de minha vida”, e vários outros. Como cantora mirim, Sonia Maria ganhou um Disco de Ouro. E fez cinco filmes. Sonia Maria Dorce, porém, afirma que o pai nunca a privilegiou em casa.Pelo contrário, tudo dela era exigido, até pela facilidade com que tudo fazia. E também não permitia que ela recebesse cachês, quando ia a inaugurações e festas. Seus discursos não lhe rendiam nada. Jamais perdeu um ano escolar, e ainda adolescente, conheceu aquele que viria a ser seu esposo. Ademir Harmonia, com quem se casou e com quem teve duas filhas. Continuando os estudos, ainda solteira, formou-se em Direito, em Pedagogia e em Francês, tendo se diplomado em Nanci, França. Já adulta, deixou a televisão e dedicou-se à Advocacia, tendo trabalhado no Departamento Jurídico dos Diários Associados e, mais tarde montou escritório com seu esposo, agualmente advogado, e mais tarde as filhas, seguiram a mesma carreira e juntaram-se aos pais. Hoje Sonia Maria é Diretora Juríca da Associação dos Pioneiros da Televisão Brasileira e Assessora da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Tendo tido uma existência repleta de amor, Sonia Maria Dorce Harmonia é grata à vida, por tudo que recebeu dela, e diz: “Deve ser por ter vivido assim feliz, que sinto em mim uma infindável capacidade de amar”.

http://www.rnp.br/noticias/2005/not-050121.html

Se eu achar algum disco dela vou postar com muito prazer.
Se alguém tiver e quiser enviar, o Cantos e Encantos agradece.

obrigada
claudia campinas

Nenhum comentário: